Manual para fazer nascer um pássaro

Vá a um parque, a um jardim,
ou a qualquer outro espaço verde;
leve a sua criança pela mão.

Procurem um pássaro;
peçam-lhe que cante;
aguardem;
deixem que ele vos ensine a cantar.

Ao regressar a casa dê à sua criança a folha em branco
que lhe foi entregue na escola.

Dêem asas à vossa imaginação e pintem os sons escutados;
dobrem o papel de acordo com as instruções
enquanto pensam num desejo.
Vejam o Orizuro nascer.

Levem o Orizuro para a escola e entreguem-no à professora;
ela juntá-lo-á a outros Orizuros para que sejam um bando.
De volta a casa pergunte à sua criança se ouviu o Orizuro cantar.

Nos dias seguintes continuem a escutar os pássaros;
deixem que eles inspirem a voz dos vossos corações.

E num dia de primavera,
vá com a sua criança à Estufa Fria.
Não terão de procurar os pássaros.
Eles estarão lá à vossa espera.

Mil Pássaros em Lisboa: Adesão de Escolas

O projeto destina-se a toda a comunidade escolar das escolas públicas do município de Lisboa (Jardim-de-Infância e 1º ciclo). A adesão ao projeto é feita pelos respetivos professores e os interessados podem-se inscrever enviando um email para info@milpassaros.com.

A inscrição contempla a receção dos materiais necessários para a montagem de Orizuros e a visita de um performer à escola que recolherá os Orizuros feitos pelas crianças.

Todos os participantes terão ainda a possibilidade de frequentar um dos workshops, de frequência facultativa, onde são desenvolvidas ideias que possam adaptar no trabalho com as crianças e famílias.

Estas ações têm como objetivo a criação e desenvolvimento de ideias que os participantes possam adaptar no trabalho com as crianças e respetivas famílias no decorrer do projeto. São também apresentados todos os procedimentos necessários ao envolvimento do professor, das famílias e das crianças.

Nota: É recomendado o uso de roupa confortável e, sendo as atividades de movimento realizadas sem sapatos, aconselha-se também o uso de meias quentes.

Datas disponíveis para workshop (vagas limitadas)

  • 01.02.2020 (sábado) – 14h30-17h30
  • 03.02.2020 (segunda-feira) – 17h00-20h00
  • 07.02.2020 (sexta-feira) – 17h00-20h00
  • 10.02.2020 (quinta-feira) – 17h00-20h00
  • 13.02.2020 (quinta-feira) – 17h00-20h00
  • 15.02.2020 (sábado) – 14h30-17h30
  • 17.02.2020 (segunda-feira) – 17h00-20h
  • 18.02.2020 (terça-feira) – 17h00-20h00

Email para inscrição: info@milpassaros.com

Mil Pássaros em Lisboa: Museus e Bibliotecas aderentes

Está definido o conjunto de equipamentos municipais que acolhem o projeto em 2020:

  • Biblioteca de Belém
  • Padrão dos Descobrimentos
  • Castelo de São Jorge
  • Biblioteca Camões
  • Biblioteca de Penha de França
  • Biblioteca Palácio Galveias
  • Biblioteca Orlando Ribeiro
  • Biblioteca dos Coruchéus
  • Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro
  • Museu Bordalo Pinheiro
  • Museu de Lisboa/ Palácio Pimenta
  • Biblioteca de Marvila

Mil Pássaros em Lisboa

No âmbito da Capital Verde Europeia 2020, a Companhia de Música Teatral e a Câmara Municipal de Lisboa levam, até Junho de 2020 , um projeto dirigido à comunidade escolar que aborda aborda de forma transversal domínios artísticos e educação ambiental. Através de um processo de escuta e representação artística, convida-se à realização de atividades que despertem os alunos para a fragilidade do planeta que habitamos. Partindo da formação inicial, os interlocutores (professores e mediadores) seguem processos de trabalho em que o envolvimento de cada criança é representado pelo orizuro (origami em forma de pássaro) que constrói e culmina numa grande Instalação Colectiva patente na Estufa Fria durante o mês de Junho.

O conceito Mil Pássaros

A Companhia de Música Teatral tem desenvolvido um modelo de trabalho que designa como “constelações artístico-educativas”. Através da construção de diferentes relações com um objeto artístico original, vão nascendo novas formas de criação e intervenção artística colocando em diálogo arte e educação.

A constelação artístico-educativa Mil Pássaros nasceu a partir de um conjunto de ideias em que se articula criação artística, formação e envolvimento da comunidade. Através de um conjunto de experiências artístico-educativas chama-se a atenção para a necessidade de escutar a “voz” dos pássaros, num alerta sobre a fragilidade do planeta em que vivemos.
É cada vez mais importante chamar a atenção para a necessidade de preservarmos o mundo em que vivemos e há muitas formas de o fazer. Ensinar a olhar e escutar de forma poética é certamente uma das que faz falta e deve ser promovida desde que nascemos.

Mil Pássaros desenvolve-se a partir da peça músico-teatral Orizuro, cujo material conceptual, musical e plástico inspira todas as componentes da constelação. Orizuru é nome de pássaro, ou melhor, de um origami que representa um pássaro. Na cultura tradicional japonesa, diz-se que um desejo se torna realidade quando alguém faz mil orizurus enquanto pensa nesse mesmo desejo. O orizuru é, pois, um símbolo de felicidade. Na segunda metade do século vinte, após a bomba de Hiroshima, o orizuru tornou-se um ícone do desejo de paz e de um mundo mais harmonioso.

A constelação Mil Pássaros promove experiências artísticas e educativas, colocando em diálogo famílias e creches, jardins de infância e escolas, crianças e adultos. Em qualquer das possíveis reformulações e combinações , preserva-se a natureza holística do projeto e procura-se construir bases educativas para resultados a longo prazo, levantando questões que urge abordar desde a primeira infância e que devem abranger toda a comunidade educativa

www.musicateatral.com