A Constelação

A Constelação Mil Pássaros

A constelação artístico-educativa Mil Pássaros nasceu a partir de um conjunto de ideias em que se articula criação artística, formação e envolvimento da comunidade. Através de um conjunto de experiências artístico-educativas chama-se a atenção para a necessidade de escutar a “voz” dos pássaros, num alerta sobre a fragilidade do planeta em que vivemos.
É cada vez mais importante chamar a atenção para a necessidade de preservarmos o mundo em que vivemos e há muitas formas de o fazer. Ensinar a olhar e escutar de forma poética é certamente uma das que faz falta e deve ser promovida desde que nascemos.

Mil Pássaros desenvolve-se a partir da peça músico-teatral Orizuro, cujo material conceptual, musical e plástico inspira todas as componentes da constelação. Orizuru é nome de pássaro, ou melhor, de um origami que representa um pássaro. Na cultura tradicional japonesa, diz-se que um desejo se torna realidade quando alguém faz mil orizurus enquanto pensa nesse mesmo desejo. O orizuru é, pois, um símbolo de felicidade. Na segunda metade do século vinte, após a bomba de Hiroshima, o orizuru tornou-se um ícone do desejo de paz e de um mundo mais harmonioso.

A constelação Mil Pássaros promove experiências artísticas e educativas, colocando em diálogo famílias e creches, jardins de infância e escolas, crianças e adultos. Integra as seguintes componentes:


Formação

Na formação são exploradas atividades de voz e movimento, de escuta da “paisagem sonora”, de exploração plástica e de educação ambiental, a partir do universo dos pássaros e do material musical do projeto Mil Pássaros.

Esta formação tem como objetivo a criação e desenvolvimento de ideias que os participantes possam adaptar no trabalho com as crianças e respetivas famílias no decorrer do projeto. Pretende-se sensibilizar para a importância e potencial educativo e artístico do projeto e esclarecer os aspectos práticos da sua implementação, garantindo que o trabalho realizado na sala de aula adquire um lado metafórico compatível com a estética da constelação Mil Pássaros.

Oficina de Pássaros

Sessão dinamizada por um músico e direcionada a cada turma que visa exemplificar no contexto real da sala de aula os conceitos e vivências da formação.

Instalação Primeiros Pássaros

A Instalação Primeiros Pássaros encontra-se nas escolas/equipamentos aderentes e integra os orizuros criados pelas crianças, pais e profissionais (as representações materiais do processo de escuta vivenciado).

A construção de orizuros é um fruto palpável das atividades desenvolvidas pelos professores e mediadores na sequência da formação e da oficina de pássaros.

PaPI – Opus 8

Uma performance a solo dirigida ao público infantil concebida a partir do material conceptual e estético do universo Mil Pássaros e dotada da portabilidade e flexibilidade necessárias à sua apresentação na generalidade das escolas, museus e bibliotecas municipais.

Orizuro

Performance com três intérpretes, que circula por espaços culturais e é dirigida ao público em geral. 

Orizuro é uma viagem ao mundo dos pássaros. De todos os pássaros, os reais e os imaginários, os das histórias, da poesia, da música, os que nos convidam a voar, os que cantam connosco. Três intérpretes levam bebés e crianças (e com elas os adultos) aos ninhos onde a música nasce com o movimento e traçam caminhos inesperados povoados de sons e imagens.

Conferência dos Pássaros

Esta conferência-performance aborda questões relacionadas com o processo criativo que deu origem à constelação artístico-educativa Mil Pássaros (nomeadamente ecológicas, musicais, processos de trabalho), num registo que é simultaneamente objetivo ou descritivo e poético ou performativo (com incursões musicais e teatrais). É ainda um espaço de partilha, reflexão e debate com a comunidade que participa no projeto.

Inúmera Mão (Instalação Coletiva)

A instalação Inúmera Mão resulta de um processo de composição reunindo as instalações Primeiros Pássaros e os orizurus criados por crianças e seus cuidadores, sendo adicionadas novas dimensões ao contributo de todos os participantes, nomeadamente a nível de som e interatividade. A realização desta “escultura sonora” envolve, pois, toda a comunidade educativa em torno de um grande objetivo comum. Uma obra de todos a lembrar a necessidade de unir esforços no cuidado com o ambiente.

A relação entre as componentes faz parte da natureza da constelação. Não obstante, a partir de cada uma das componentes, podem ser desenhados projetos específicos de forma a dar resposta a necessidades próprias de cada contexto. Em qualquer das possíveis reformulações e combinações da constelação Mil Pássaros, preserva-se a natureza holística do projeto e procura-se construir bases educativas para resultados a longo prazo, levantando questões que urge abordar desde a primeira infância e que devem abranger toda a comunidade educativa.